Violoncelo 4/4 Franz Hoffmann, H. T. Heberlein

  • Marca: FRANZ HOFFMANN
  • Modelo: FH16CA-HEB
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 5.999,00


  • ou em até 6x de R$ 999,83 sem juros no cartão

  • Pague somente R$ 5.699,05 à vista.

Estimar frete

VIOLONCELO 4/4 FRANZ HOFFMANN, HEBERLEIN

O modelo Heberlein tem madeira selecionada e envelhecida por pelo menos 5 anos.
É um bom violoncelo intermediário, feito artesanalmente dentro dos padrões europeus.
A partir de materiais e acessórios de boa qualidade, o instrumento é construído seguindo a metodologia tradicional e obedecendo os princípios do mercado alemão.

Com tampo em pinho, fundo bipartido e faixas de acero com uma boa maressatura.
Possui acabamento antigo com tom marrom e bordas desgastadas, numa releitura do estilo clássico alemão.
Montagem com acessórios em ébano, cavalete de boa qualidade ajustado e cordas D'Addario Prelude.
Acompanha capa Zion, arco de maçaranduba com talão de ébano e olho Paris, breu claro zion com caixinha de madeira.

As fotos são imagens de arquivo.
Podemos enviar fotos do violoncelo disponível à venda diretamente ao cliente interessado.

Sobre o nome:

Heinrich Theodor Heberlein Jr. (1843 - 1910) nasceu em Markneukirchen, distrito de Vogtlandkreis, no estado da Saxônia, Alemanha.
Junto com a região vizinha, Boémia ocidental na República Checa, Vogtland se tornou conhecida no mundo todo por sua grande produção de instrumentos musicais, com quase 400 anos de história. Desde a segunda parte do século XVI quando as primeiras dinastias de luthiers se mudaram para a região, até o dia que que Ludwig Gläsel Jr. (1842-1931) decidiu imprimir "German Cremona" em suas etiquetas, essa região da Europa Central se destaca pela quantidade de instrumentos musicais produzidos. Seus instrumentos e até seus luthiers se espalharam pela Europa e pelo mundo nos séculos XVIII e XIX, e os instrumentos baratos eram em grande número, quase como uma profecia do fenômeno chinês nos dias atuais.

Mas Heinrich Theodor é o membro mais famoso da dinastia Heberlein de Markneukirchen, cidade que personifica a região e na qual seus luthiers produziram os melhores instrumentos, ao bom estilo de Cremona e Brescia. Aprendeu o ofício com seu pai, Carl August Heberlein, depois mudou-se para Leipzig para trabalhar com Ludwig Bausch. Após outros 3 anos de aprimoramento com August Riechers em Hanover, abriu sua própria lutheria em sua cidade natal em 1863. A partir de 1875 recebeu diversos prêmios em Viena, Halle, Teplit e Berlin. Dentre eles: Cavaleiro da Ordem Saxônica Albrecht.

Sua amizade com August Riechers perdurou pela vida toda e lhe rendeu algumas oportunidades. Riechers também foi treinado inicialmente em Markneukirchen, também trabalhou com Ludwig Bausch, mas depois com J.B. Vuillaume e se tornou um grande expert. Através de Riechers, Heberlein fez amizade com o violinista Joseph Joachim que possuiu vários violinos Stradivari ao longo da carreira. Heberlein teve a oportunidade de estudar muitas masterpieces que acabaram por incluenciar seu trabalho, o que tornou seus violinos cada vez mais próximos do estilo cremonese.
H. T. Heberlein também foi presidente da associação alemã de luthiers e fundador da escola profissional de lutheria de Markneukirchen em 1878.

O artista e ilustrador americano James Montgomery Flagg, que ficou famoso por intar o icônico poster do Tio Sam, foi atraído pela fama de Heberlein e fez uma penosa viagem em 1907, de Nova York para explorar o pequeno vilarejo de Markneukirchen. A jornada resultou em um belo artigo ilustrado chamado ‘A Violin Makers’ Village’, publicado em fevereiro de 1908 no periódico da época: Scribners Monthly.
Em seus comentários, Flagg escreveu que um dos instrumentos no atelier de Heberlein era exposto com orgulho: um violino em que o topo da voluta tinha a cabeça do famoso Joachin cuidadosamente esculpida.

O retrato original de Heinrich Theodor Heberlein Jr. pintado por James Flagg encontra-se no Museu dos Instrumentos Musicais de Markneukirchen, que contempla uma extensa exposição com mais de 3200 instrumentos da região e de outras partes do mundo.