Violino 4/4 Profissional Angelo Di Piave, La Cathédrale, A. Stradivari 1707

  • R$ 4.299,00
  • R$ 3.899,00


  • Pague somente R$ 3.704,05 à vista no boleto bancário.

  • ou em até 10x de R$ 389,90 sem juros no cartão

Estimar frete

VIOLINO 4/4 PROFISSIONAL ANGELO DI PIAVE, LA CATHÉDRALE, A. STRADIVARI 1707

Violino profissional de atelier, construído em 2018 dentro dos conceitos italianos da liuteria clássica.
Este modelo é baseado nas plantas do liutaio Antonio Stradivari, com acabamento inspirado no violino La Cathédrale 1707.

Construção artesanal tradicional a partir de madeiras selecionadas e com boas características sonoras.
Tampo em pinho e fundo inteiro em acero com belas maressaturas.
Acabamento imitação levemente antigo em tom marrom claro alaranjado.
Verniz brilhante aplicado à mão realçando os detalhes da madeira.

As fotos são do próprio instrumento, não são imagens de arquivo.
O instrumento possui cavalete Aubert à Mirecourt, France ajustado com incrustação de osso.
Montado com jogo de cordas Thomastik Dominant e um micro-afinador fixo preto e dourado na corda mi.
Os acessórios são de ébano decorados com boxwood, estandarte modelo Hill.
Possui coroa de ébano na junta posterior do braço com o fundo, simulando um restauro em instrumento antigo.

Os instrumentos de liuteria Angelo Di Piave não acompanham outros acessórios como: breu, arco, espaleira e estojo.
Esses acessórios podem ser adquiridos separadamente.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Sobre o violino Stradivari 1707 'La Cathédrale':

Stradivari foi o mais talentoso liutaio da cidade de Cremona, Itália, que é o berço da liuteria clássica.
A obra do mestre é classificada em três períodos: o primeiro em que havia forte influência do trabalho de Nicolò Amati; o segundo em que começou a desenvolver seu estilo próprio; o último que é chamado de período de ouro, entre 1700 e 1720 aproximadamente.

Em 1707, Antonio Stradivari construiu um violino que ficou conhecido como La Cathédrale, nome dado ao instrumento por seu primeiro proprietário conhecido, o violinista francês Jean Baptiste Cartier (1765-1841).
J. B. Cartier já era um bom violinista quando foi a Paris para trabalhar com Giovanni Battista Viotti, que o apresentou à corte da rainha Maria Antonieta, onde atuou desde 1785 até a revolução francesa.

Foi o segundo violinista da ópera de Paris entre 1791 e 1821. Tocou na sagração de Napoleão Bonaparte em 1804 e foi membro da corte de Louis XVIII e de Charles X. Em suma, passou por diferentes reinados e sobreviveu a todos eles.
Professor, ensinou muitos estudantes e compôs estudos, duetos, concertos para violino, sinfonias e duas óperas que nunca foram montadas. Seus trabalhos foram publicados pela primeira vez em 1798: L'Art du Violon.

Acredita-se que o violino La Cathédrale foi trazido da Itália por um oficial do exército de Napoleão e foi executado por J. B. Cartier até 1831. Depois pertenceu a Pierre David e E. Lemoine ainda no século XIX.
Desapareceu por um longo período até ser visto pelo luthier alemão Walter Hamma em Stuttgart, em 1949.
Desde então, pertenceu a Marius Casadesus, Michel Scheinen e N. W. Brown Group.
Em 1991, o conhecido dealer e expert Peter Biddulph vendeu o instrumento para um proprietário anônimo.